Ouvido externo

O ouvido externo constitui a parte visivel do aparelho de transmissão sonora

Esquema do ouvido externo

o_ext_po

  S. Blatrix

O ouvido externo comporta-se como uma antena acústica: o pavilhão (associado ao volume do crâneo) difracta as ondas e o canal auditivo externo e a concha funcionam como ressoadores

A membrana do tímpano é a terminação acústica do ouvido externo

Função de transferência do ouvido externo

A amplitude e a fase das ondas acústicas modificam-se quando se propagam do meio externo até ao tímpano. Estas modificações, que são específicas para cada frequência e para cada ângulo de incidência das ondas sonoras, caracterizam a função de transferência do ouvido externo.

transfert

Ex: Para este som puro, a função de transferência entre a entrada (curva azul) e a saída (curva vermelha) do sinal é de +6dB para a amplitude (x2) e de p/2 para a fase (atraso de 90º ou de 1/4 de período).

Ganho acústico

gain_acoustique

Efeito do pavilhão (p, verde) e do canal auditivo externo (c, azul) sobrea amplitude da vibração sonora (ganho acústico) para o azimute 45º no plano horizontal. A 3kHz, a soma acumulada (t, vermelha) dos ganhos corresponde a 20 dB (=amplitude do sinal de entrada x10)

Papel do ouvido externo na localização dos sons

sources

Consequência da função de transferência: para uma determinada fonte no meio externo, existem diferenças entre ambos os ouvidos (para frequências superiores a 500Hz) quanto à amplitude (ver acima) e quanto à fase (tempo de chegada da onda sonora) (ver abaixo).

phases

A diferença máxima de tempo de chegada entre os dois ouvidos é de 760 microsegundos (para a incidência representada na figura).

No entanto, podemos localizar uma fonte sonora localizada diante da cabeça com uma precisão de 1 a 2 graus, correspondendo a uma diferença de tempo de chegada de 13 microsegundos: Isto significa que os neurónios que tratam esta informação são sensiveis a estas micro-diferenças.

Última atualização: 2016/18/11 17:11