Tronco Cerebral

O tronco cerebral é o centro anatómico do encéfalo. É formado pelo bolbo raquideano, a protuberância ou ponte e pelo mesencéfalo .

Através do tronco cerebral passam todas as vias sensoriais, exceto a via olfativa e a via óptica e nele se encontram os núcleos das referidas vias  cada um com o seu próprio papel funcional. No caso da via auditiva, os seu principais núcleos são: núcleos cocleares, complexo olivar superior, lemnisco lateral e o seu núcleo, e o colículo inferior. 

ORGANIZAÇÃO GERAL DO TRONCO CEREBRAL

Organisation générale du tronc cérébral

O tronco cerebral põe em comunicação a medula espinal (azul), o cerebelo (amarelo) e o cérebro (verde).É formado pelo bolbo raquideano (1), a protuberância ou ponte (2) e pelo mesencéfalo (3).

P. Gil-Loyzaga

Nota: pode encontrar um esquema geral das vías auditivas nas " Generalidades".

Da cóclea ao tronco cerebral

De la cochlée au tronc cérébral

P. Gil-Loyzaga

A via auditiva começa no gânglio espiral da cóclea onde se localizam os neurónios auditivos primários.

O nervo auditivo origina-se nos neurónios do gânglio espiral da cóclea, desde do ápice até à base. O nervo ocupa a parte central do modíolo coclear. Este nervo estrutura-se em camadas sucessivas: as fibras mais profundas (vermelhas) provéem do ápice, estando envolvidas pelas da espira média (verde) e as mais periféricas originam-se na espira basal (azul). Desta forma, a tonotopia coclear mantem-se também no nervo.

Os núcleos cocleares

O nervo auditivo entra no crânio pelo canal auditivo interno. De imediato chega à superficie do tronco cerebral, no sulco bulboprotoberâncial, e as sua fibras terminam nos núcleos cocleares.

As fibras (ou axónios) do nervo auditivo, ao entrarem nos núcleos cocleares, dispõem-se de forma ordenada e tonotópica. As fibras provenientes da ápice coclear (codificam frequências graves) mantéem-se na superfície dos núcleos cocleares, enquanto as que provéem da base (codificam frequências agudas) penetram até ao interior nuclear.

A distribuição das fibras do nervo auditivo nos núcleos cocleares permite, para cada frequência, ativar os neurónios situados numa banda concreta, que se designa “plano de isofrequência”.

No interior dos núcleos cocleares cada fibra divide-se em “V”, dando 2 ramos principais: um ventroascendente (que vai para o núcleo anterior, NCVA) e outro dorsodescendente (que se distribui pelos núcleos ventral posterior, NCVP e dorsal, NCD).

Les noyaux cochléaires

P. Gil-Loyzaga et F. Valderrama

Esquema general de los núcleos cocleares: se observan las "V" tonotópicas. NCD = Núcleo coclear dorsal, NCVA = Núcleo coclear ventral anterior, NCVP = Núcleo coclear ventral posterior.

Tipos de neurónios:
 E = bushy esférico,
 Glo = bushy globular,
 Es = estrelados,
 O = octopus,
 Gr = granular,
 G = gigante,
 F-P = fusiformes ou piramidais.

Físiologia

Os núcleos cocleares descodificam a intensidade (som forte e fraco), analisam diversos parâmetros temporais como: duração do som (curto ou longo), o momento de início e final dum estímulo auditivo e mantêm ou transmitem a análise frequencial (som agudo ou grave) realizada pelo recetor periférico.

A função de cada neurónio está bem definida. A sua função é essencial para completar a análise da frequência e de intensidade do estímulo iniciada na cóclea.

  • Os neurónios globulares e esféricos (figura 4) apresentam uma resposta do tipo primário (primary like), quer dizer similar a dos neurónios do gânglio espiral: atuam durante todo o estímulo,
  • Os neurónios octupus ativam-se com o início do estímulo (resposta “on”),
  • Os neurónios fusiformes e piramidais do NCD são ativados no início e final do estímulo (resposta “on-off”).

Os núcleos cocleares possuem numerosos circuitos internos com papel ativador ou inibidor sobre os neurónios, que contribuem na análise do sinal auditivo primário e na sua melhor distribuição para os circuitos superiores da via, começando pelo complexo olivar superior que é a estação neural seguinte. 

Projeções dos neurónios dos núcleos cocleares

Alguns neurónios dos núcleos cocleares projetam as suas fibras para outros núcleos. Estas projeções atravessam o tronco cerebral para o lado oposto e formam as estrías acústicas. 

 

Projection des neurones des noyaux cochléaires

P. Gil-Loyzaga

As estrias acústicas:

1- A estria dorsal (ou de von Monakow) é formada sobretudo por fibras do núcleo dorsal: piramidais e multipolares. Depois de atravessarem a linha média, estas fibras ascendem pelo fascículo do lemnisco lateral (LL) até ao colículo inferior onde fazem sinápse.

 

2- A estria intermédia (ou de Held) é constituída por fibras provenientes dos neurónios “octupus” do núcleo ventral posterior (NCVP) que atravessam a linha média e ascendem pelo lemnisco lateral (LL) até ao seu núcleo (NLL).

 

3-A estria ventral ou fascículo do corpo trapezóide é, sem dúvida, a mais complexa. É formada por fibras da maioria dos neurónios do núcleo ventral anterior (esféricos, globulares e multipolares) que enviam os seus axónios para os neurónios dos núcleos do complexo olivar superior de ambos os lados. As fibras destes neurónios olivares ascendem pelo lemnisco lateral (LL) (figura 6) e contactam com os neurónios do seu núcleo (NLL) e com os do colículo inferior (CI).

 

P. Gil-Loyzaga

 

Nota: pode encontrar um esquema geral das vías auditivas nas " Generalidades"

Última atualização: 2016/13/10 15:04