Aparelhos de condução óssea

O som propaga-se no ar até chegar à membrana do tímpano, sendo transformado em vibrações mecânicas pelo sistema tímpano-ossicular. Se este processo está comprometido por alguma razão, então devemos recorrer a próteses auditivas baseadas na condução óssea. Utilizando as propriedades naturais de condução sonora do osso é possível estimular diretamente as células ciliadas da cóclea, ultrapassando a via normal de transmissão da informação através do ouvido externo e médio.

Óculos de condução óssea

Funcionamento

O microfone, o processador e o vibrador encontram-se no interior das hastes dos óculos.Ol microfone captura o som e transmite-o como um sinal elétrico ao processador. Seguidamente, o sinal tratado e amplificado excita um vibrador ósseo localizado na parte posterior sobre a apófise mastóide. O vibrador equivale a um altifalante em que a sua membrana foi substituída por uma placa vibratória que reagirá aos impulsos da corrente elétrica.

Indicações

Essencialmente destinado a casos de surdez de transmissão, este dispositivo pode mesmo assim ser recomendado para hipoacusias de perceção ou mistas de grau ligeiro a moderada, para as quais as próteses de condução aérea não podem ser utilizadas (aplasia do pavilhão e/ou do conduto auditivo externo, otorreia crónica, otosclerose avançada, timpanoesclerose, colesteatoma, etc.).

Vantagens e inconvenientes

A vantagem destes sistemas reside no seu carácter não invasivo e na facilidade da sua instalação. No entanto, o tratamento do som, a banda de frequência operacional e a potência do vibrador são limitados. Acresce que a eficácia destes dispositivos depende fortemente da superfície de contacto com o osso, a espessura da pele e da firmeza do ajuste.

Implantes de ancoragem óssea

Funcionamento

Um "parafuso" de titânio de alguns milímetros é colocado no osso da mastóide. Este está constituído por duas partes: um elemento fixador ancorado no osso sobre o qual se coloca o pilar, que atravessa a pele. O microfone e o microprocessador são colocador sobre o pilar. Desta maneira, o som transformado em vibração é transmitido directamente ao ouvido interno através do sistema "parafuso-pilar", implantado no osso, e que atuam como veículo para a transmissão da  informação.

Indicações

Assim como com os óculos de condução óssea, o uso dum equipamento convencional de condução aérea será sempre privilegiado no caso de ser possível. No caso contrário, certas hipoacusias de transmissão ou mistas de grau ligeiro a moderado podem beneficiar desta estratégia. Está dirigido a adultos mas também a crianças a partir dos 5 anos, graças a uma interface adaptada que assegura um melhor contacto entre o vibrador e o osso.

Também pode ser utilizada no caso da cirurgia do ouvido médio não se possa realizar, ou apresente risco quanto à  sua eficácia. Finalmente, no caso de hipoacusia severa ou profunda unilateral, também pode ser utilizada como um sistema CROS para levar informação adicional ao ouvido são contralateral.

Vantagens e inconvenientes

O pilar em titânio diminui os riscos de infeção cutânea e a sua ancoragem óssea diminui as restrições impostas pela espessura da pele, a superfície e a força de contacto com esta. Desta forma, o som emitido é de melhor qualidade e a potência aumentada.

Os maiores inconvenientes são a cirurgia, apesar de ser pequena, e as precauções a tomar para evitar as infeções cutâneas. No entanto, a banda de frequências e o tratamento do som são limitados apesar de ser muito melhor.

Implantes de ouvido médio

Funcionamento

Como no caso dos dois sistemas descritos anteriormente, o som é captado por um microfone externo e tratado por um processador. A diferença em relação a estes é que o sinal elétrico que transmite a informação é um vibrador, que pode ser de dois tipos:

  • Electromagnético : à medida  que uma bobina (na qual se colocou um íman permanente) seja submetida a uma tensão elétrica, as forças magnéticas geradas permitirão pô-la em movimento. Com efeito, desde que a corrente circule num sentido, as forças magnéticas empurrarão a bobina para o exterior, e inversamente quando a corrente circule na direção contrária. É o mesmo principio que funciona num altifalante electrodinâmico.
  • Piezoeléctrico : Um material piezoeléctrico apresenta a propriedade intrínseca de poder deformar-se quando se encontra submetido a uma voltagem. Desta forma, gerindo a corrente que o atravessa, também se pode controlar a sua deformação e assim a sua vibração.

Estes vibradores podem fixar-se a pontos diferentes da cadeia ossicular: martelo, curta apófise da bigorna, longa apófise da bigorna (a mais corrente) ou inclusive sobre um pistão após se ter retirado o estribo. Assim, a vibração induzida amplifica os movimentos naturais da cadeia ossicular.

Indicações

Sempre e quando um equipamento convencional não possa ser instalado, o implante de ouvido médio pode representar uma alternativa. estes sistemas oferecem uma hipótese de melhora para aqueles surdos adultos que apresentem hipoacusias de transmissão, perceção ou mistas bilaterais, de grau moderado a severo, nos quais o complexo tímpano-ossicular está íntegro.

Vantagens e inconvenientes

A amplificação dos movimentos naturais da cadeia ossicular representa o principal interesse destas próteses auditiva. Assim, melhora a restituição das frequências.

Inversamente, a maior limitação é a cirurgia necessária para a fixação do vibrador à cadeia ossicular, cuja integridade é essencial para garantir a eficácia do implante.

Última atualização: 2016/26/12 18:41