Otoemissões

Descobertas "permaturamente" em 1978 (Kemp), as otoemissões acústicas (OEA) só foram bem compreendidas alguns anos mais tarde, á luz dos conhecimentos sobre os mecanismos activos e a electromotricidade das CCE, das quais são consequência. Colocando uma sonda no canal auditivo externo, é possível registar uma resposta acústica a uma estimulação (otoemissões provocadas ou evocadas), ou mesmo, em alguns casos uma emissão espontânea.

Sonda de otoemissões provocadas

Esquema representando uma sonda de otoemissões provocadas (OEAP).

oto_emission_2

A sonda é constituida por um altifalante (1) que envia o estímulo e microfone (2) que recolhe o som emitido pelas CCEs.

Registos de Otoemissões provocadas

Enregistrement d'une OAEP

Neste esquema representa-se uma otoemissão acústica provocada (OEAP) com a latência de 5 ms, em resposta a um clic. A OEAP é perfeitamente reprodutível desde que não haja alteração da função auditiva.

 

Cada ouvido e cada indivíduo apresentam um traçado característico em resposta ao mesmo clic.

Neste esquema os traçados A e B e C e D representam OEAP por um clic de 20 dB SPL nos 2 ouvidos de 2 indivíduos diferentes.

Otoemissões e limiar auditivo

Seuil d'enregistrement des OAEP

Limiar de detecção das OEAP

O limiar de detecção das OEAP de um indivíduo normouvinte é muito baixo (-10dB: logo inferior ao limiar auditivo), o que torna este exame muito sensível. No entanto, a resposta satura rapidamente.

Este esquema representa as OEAP em resposta a estímulos de intensidade decrescente.

Oto-emissões, rastreio e prevenção

Registo clínico de OEA dum indivíduo normouvinte.
 
Sendo o testemunho da actividade das CCEs, as OEA constituem um teste objectivo e específicoda sua integridade.Sendo um teste simples, rápido e não invasivo as OEA tornaram-se um clássico da exploração funcional em ORL designadamente no rastreio de sudez coclear no recém-nascido ou no seguimento de indivíduos em risco surdez profissional ou ototóxica.

Produtos de distorção

Enregistrement du produit de distorsion 2f1-f2.

Produtos de distorção 2f1-f2.

Os produtos de distorção refletem a não-linearidade da cóclea. Uma cóclea normal (não-linear) emite um produto de distorção em resposta a uma estimulação por 2 sons de frequências diferentes.

Este tipo de otoemissão é específico em frequência e permite realizar um audiograma objectivo que reflete o estado funcional das CCEs.

Exemple d'audiogramme en produits de distorsion

Exemplo de audiograma em produtos de distorção.d'audiogramme en produits de distorsion.

A amplitude da otoemissão 2f1-f2 é representado em função da frequência do som f2.
 
Note a presença duma resposta claramente identificável em relação ao ruído de fundo (traço tracejado em baixo) na gama de frequências entre 1 e 6 kHz. Com efeito, não é possível a obtenção de produtos de distorção nas frequências graves devido à inexistência de mecanismo activo nessa zona da cóclea. Para cima dos 6kHz, são as características do equipamento que limitam o registo dos produtos de distorção.

Otoemissões acústicas espontâneas

Enregistrement d'oto-émissions spontanées

Exemplo de otoemissões acústicas espontâneas (OEAE)

Em mais de 30% da população é possível registar um segundo tipo de otoemisões, que não são desencadeadas pela exposição a um estímulo: são as otoemissões acústicas espontâneas (OEAE). São captadas por sondas idênticas às descritas anteriormente mas só activando o microfone. As OEAE devem representar pequenas anomalias das CCEs ( supranumerárias?, perdidas?) ou apenas em estado de oscilação permanente.

Raramente, podem estar em relação com acufenos, que neste caso se tornam objectivos.

Este esquema representa um registo de OEAE com 6 emissões espontâneas.

Otoemissões e sistema eferente

O sistema eferente medial, conectado às CCEs modifica, por intermédio da contração lenta (dependente do cálcio) as propriedades electromotrizes da CCE. Três tipos de resultados demonstram este facto:

  • Uma estimulação contralateral atenua as OEA do ouvido contrário;
  • A acção directa da acetilcolina provoca uma reacção semelhante;
  • A atenção selectiva (visual ou auditiva) reduz as OEA e essa acção é mediada pelo sistema eferente lateral.

Estes resultados permitem propor, que utilizando as OEA, seja possível realizar um teste objectivo do funcionamento do sistema eferente medial.

Última atualização: 2016/27/12 8:31